Estatísticas de zumbis? "A posse de 70% da população global é insegura". [Parte 1 de 2] | Land Portal


"Dois terços da população mundial não têm acesso à posse segura da terra". Variações desta estatística são comumente citadas no setor fundiário. Mas de onde vêm esses dados? Como sabemos? O número tem sido utilizado com tanta frequência a ponto de se destacar de qualquer fonte. O Land Portal acredita no poder dos dados e informações abertas como um ponto de partida para investigação, análise e melhoria. Iniciamos uma conversa entre as equipes de pesquisa e comunicação do Land Portal para chegar ao fundo desta questão e pedimos ao pesquisador Rick de Satgé para explorá-la mais a fundo. Leia asegunda parte desta série de blogs aqui. 



Estatísticas de zumbis? "A posse de 70% da população global é insegura.” 


Por Rick de Satgé


Comumente se afirma que apenas 30% da população global tem direitos legais sobre suas terras e casas, enquanto os direitos de propriedade de 70% permanecem sem documentação.  A partir destes números, infere-se frequentemente que os direitos de terra da maioria que não possui documentação devem ser inseguros - o que, como argumentaremos, é uma suposição questionável.


Na primeira parte desta série de dois blogues, tentamos descobrir a origem da divisão estimada de 70-30% entre direitos de terra não documentados e os documentados, e exploramos algumas das diferentes maneiras pelas quais estes números foram usados e interpretados. Nisso, também chamamos a atenção para como os direitos à terra e os direitos de propriedade sobre a mesma são frequentemente confundidos. 


Em primeiro lugar, precisamos tentar estabelecer a quem e a que se referem estes números? Ao examinarmos a literatura, encontramos uma série de números utilizados para descrever a posse da (in)segurança. Mesmo a divisão 70/30 é usada para descrever coisas muito diferentes. Em alguns relatos, os 70% denotam os direitos de terra não documentados da população global - tanto urbana quanto rural. Outros se referem à população dos "países em desenvolvimento".  No entanto, isto também não é muito preciso, pois a definição de "país em desenvolvimento" nunca foi definida de comum acordo. O Banco Mundial abandonou a distinção entre países desenvolvidos e países em desenvolvimento em 2016 para substituí-la por diferentes categorias de renda. Apesar de ser amplamente considerado como inútil, o termo continua sendo utilizado por várias instituições globais. Trinta e uma das metas dos 169 ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) fazem referência específica aos países em desenvolvimento, apesar da ONU não ter uma definição formal de como determinar este status.


Em alguns casos, os números descrevem a extensão da terra para a qual não há proteção oficial de posse. A UICN (União Internacional para Conservação da Natureza) afirma que a insegurança da posse contribui para a vulnerabilidade à mudança climática, afetando recursos fundiários significativos na América Latina, Ásia e Pacífico Sul e até 90% da terra na África.


Entretanto, como vamos analisar, a insegurança na posse é específica ao contexto e as tentativas de generalizar inevitavelmente se deparam com problemas. Como Payne e Durand-Lasserve afirmaram tão claramente em 2012:


Analisar a natureza e a escala do problema está repleto de dificuldades de definição e de medição. Todas as tentativas de estimar o número de pessoas que sofrem globalmente com a insegurança da posse da terra e a restrição dos direitos de propriedade revelaram-se infrutíferas. Isto porque a segurança da posse é em parte uma questão de percepção e experiência, tanto quanto uma questão legal.


A cifra de 70%, seja da população mundial, seja da terra sem posse de proteção ou da terra nos países em desenvolvimento, tem sido desde então criticada como uma 'estatística de zumbis'.


Graphical user interface, text, application

Description automatically generated 


Embora a estimativa 70/30 tenha sido muito citada, parece não haver nenhuma fonte de dados ou estudo reconhecido para estes números. Isto porque a cifra é informada para derivar de um "suposição educada" baseada na experiência de dez especialistas em posse de terras. Aparentemente, a estimativa foi gerada como parte do conselho dado à Organização para Alimentação e Agricultura (FAO) na preparação para as Diretrizes Voluntárias sobre a Governança Responsável da Posse (VGGT), que finalmente foram endossadas há uma década, em maio de 2012.


Mas a estimativa 70/30 não era pura especulação. Ela tinha alguma base de pesquisa. Por exemplo, um estudo concluiu em 1998 que não havia evidência documental de título para até 90% das parcelas de terra em "países em desenvolvimento". Este estudo também observou que menos de 1% da África subsaariana era coberta por qualquer tipo de levantamento cadastral. A partir disto, concluiu-se que "em uma estimativa aproximada, 70% das populações dos países em desenvolvimento estão fora de qualquer sistema formal de administração de terras".


Entretanto, a forma como os 70% estimados das pessoas cujos direitos não estão formalmente documentados vieram a ser identificados como pessoas cujos direitos de terra eram necessariamente inseguros, faz parte de uma história maior e muito contestada.  Embora o número de 70% da população mundial tenha sido criticado, ele continua entrincheirado como uma "verdade" narrativa. 


Por um lado, esta "verdade" tem sido usada com sucesso para aumentar a conscientização sobre as questões globais da terra.  Por outro lado, também pode ser dito que contribuiu para simplificações persistentes sobre a natureza da insegurança da posse e o desenho de soluções para lidar com isso, que exploramos na Parte Dois.



Referências


Alcorn, J. (2014). Strengthen tenure security. Conflict sensitive adaptation: Use human rights to build social and environmental resilience. Brief 3, Indigenous Peoples of Africa Co-ordinating Committee and IUCN Commission on Environmental, Economic and Social Policy.


Beger, G. (2017). "Land Rights: Disadvantaged traditional occupants."   Retrieved 6 June, 2022, from https://www.dandc.eu/en/article/secure-land-rights-are-key-factor-sustainable-rural-development.


Daly, J. (2018). "Measuring Global Perceptions of Land and Property Rights." Gallup blog  Retrieved 6 June, 2022, from https://news.gallup.com/opinion/gallup/245483/measuring-global-perceptions-land-property-rights.aspx#:~:text=This%20is%20why%20secure%20land%20and%20property%20rights,world%27s%207%20billion%20citizens%20think%20these%20rights%20are.


Du Plessis, j., C. Augustinus, M. Barry, C. Lemmen and L. Royston (2016). The continuum of land rights approach to tenure security: Consolidating advances in theory and practice. Scaling up responsible land governance. Annual World Bank Conference on Land and Poverty. 14-18 March. Washington DC, UN Habitat/GLTN.


Fernhollz, T. (2016). "The World Bank is eliminating the term “developing country” from its data vocabulary."   Retrieved 31 May, 2022, from https://qz.com/685626/the-world-bank-is-eliminating-the-term-developing-country-from-its-data-vocabulary/.


Fourie, C. (1998  ). An Integrated Geo-Information (GIS) with Emphasis on Cadastre and Land Information Systems (LIS) for Decision-Makers in Africa. Working document for meeting of group of experts at United Nations Economic Commission for Africa. Addis Ababa, 23-26 November Unpublished.


Hirsch, P. and N. Scurrah (2020). Land rights recognition/formalization/titling/collective tenure, Mekong Land Research Forum.


Khokar, T. (2015). "Is the term ‘developing world’ outdated?"  https://www.weforum.org/agenda/2015/11/is-the-term-developing-world-outdated/.


LaForge, G. (2021). Land Rights for the Untitled Poor: Testing A Business Model, 2012–2021. Innovations for successful societies, Princeton University.


Payne, G. and A. Durand-Lasserve (2012). Holding on: Security of tenure: Types, policies, practices and challenges. Expert group meeting on security of tenure 22-23 October 2012, UN Human Rights Office.


The World Bank. (2017). "Why Secure Land Rights Matter."   Retrieved 30 May, 2022, from https://www.worldbank.org/en/news/feature/2017/03/24/why-secure-land-rights-matter.


USAID. (2022). "Securing Land Tenure and Property Rights for Stability and Prosperity."   Retrieved 6 June, 2022, from https://www.usaid.gov/land-tenure.


Photo by Ignacio Ferre Pérez on Flickr.



Read Part 2 of this two-part blog series on tenure (in)security here. 

Comparta esta página