Piora da situação alimentar afeta 25 milhões de pessoas no Sudão | Land Portal

Foto: Evan Schneider/UN Photo/Flickr (CC BY-NC-ND 2.0)

PMA alerta sobre catástrofe humanitária iminente na região; maioria dos sudaneses enfrentando fome e desnutrição vive em áreas onde os combates estão ativos; Sudão do Sul e Chade sofrem maior impacto do conflito.

Pelo menos 25 milhões de pessoas são afetadas pelo aumento da fome e da subnutrição no Sudão num momento em que a crise “envia ondas de choque por toda a região”.

Nesta segunda-feira, o Programa Mundial de Alimentos, PMA, destaca que milhares de famílias são forçadas a fugir semanalmente para o Chade e o Sudão do Sul, países que sofrem o impacto do conflito sudanês. 

Maior crise de deslocamento do mundo

O diretor Regional do PMA para a África Oriental, Michael Dunford, visitou a cidade fronteiriça de Renk, no Sudão do Sul. Ele destacou a rapidez com que a situação sudanesa se tornou a maior crise de deslocamento do mundo.

Sobre a guerra com quase um ano, Dunford declarou não haver sinais de redução de famílias que fogem através das fronteiras. Crianças e mulheres “que atravessam para o Sudão do Sul ou para o Chade estão com fome e chegam sem recursos”.

Renk acolheu meio milhão de pessoas que fugiram da guerra que eclodiu em abril passado entre as Forças Armadas do Sudão, SAF, e os paramilitares das Forças de Apoio Rápido, RSF.

O conflito agravou a fome e a subnutrição aguda no Sudão desde e o PMA estima que 18 milhões de pessoas não sabem de onde virá a sua próxima refeição. Pelo menos 3,8 milhões de crianças sudanesas menores de cinco anos estão subnutridas.

Atuação da comunidade humanitária

De acordo com a agência, a maioria dos sudaneses enfrentando fome e desnutrição estão presos em áreas onde os combates estão ativos. Nessas regiões, o foco da atuação da comunidade humanitária é manter um acesso consistente.

Segundo as entidades de auxílio, as pessoas que conseguem escapar se deslocam a áreas como o Sudão do Sul ou o Chade, agravando a já terrível situação humanitária nesses países.

Mais de 553 mil sudaneses vivem em território sudanês após fugirem do conflito, principalmente de Darfur. Cerca de 40% das crianças refugiadas observadas numa clínica de emergência num campo de acolhimento sofriam de subnutrição aguda.

O PMA alerta para a iminência de uma catástrofe de fome arrasadora com o aumento das necessidades alimentares e nutricionais no Sudão, no Sudão do Sul e no Chade. 

Para os próximos seis meses a assistência humanitária é vital e requer US$ 300 milhões em meio ao déficit de financiamento.

 


 

 

Copyright © Source (mentioned above). All rights reserved. The Land Portal distributes materials without the copyright owner’s permission based on the “fair use” doctrine of copyright, meaning that we post news articles for non-commercial, informative purposes. If you are the owner of the article or report and would like it to be removed, please contact us at hello@landportal.info and we will remove the posting immediately.

Various news items related to land governance are posted on the Land Portal every day by the Land Portal users, from various sources, such as news organizations and other institutions and individuals, representing a diversity of positions on every topic. The copyright lies with the source of the article; the Land Portal Foundation does not have the legal right to edit or correct the article, nor does the Foundation endorse its content. To make corrections or ask for permission to republish or other authorized use of this material, please contact the copyright holder.

Share this page