Portugal atento à hipótese de expropriação de terrenos na África do Sul -- embaixador | Land Portal | Securing Land Rights Through Open Data
O embaixador de Portugal na África do Sul, Manuel Carvalho, disse hoje que o Governo português está "preocupado e atento" com a hipótese e termos dos procedimentos equacionados pelo executivo daquele país para expropriar terras sem compensação.
 
Estamos atentos ao assunto, as autoridades dizem que o que venha a ser feito irá ser feito da maneira mais cautelosa, cuidadosa, mas é possível que, de facto, venha a haver algumas expropriações de terras", declarou à agência Lusa Manuel Carvalho, à margem de um encontro com empresários promovido pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-sul-africana (CCILSA) em Cascais, no distrito de Lisboa.
 
O embaixador de Portugal na África do Sul apontou o problema da "extrema desigualdade na distribuição da propriedade e da terra na África do Sul" como algo que vem do passado e que "é necessário tratar de maneira sensata".
 
"As autoridades dizem que irão tratar da questão de maneira sensata e que não ponha em causa o direito de propriedade no seu conjunto o que não quer dizer - mas isso iremos ver como é que isso será feito - que nós percamos o assunto de vista", afirmou o embaixador.
 
O representante diplomático de Lisboa em Pretória, que chegou à África do Sul no final do ano passado depois de chefiar a Embaixada de Portugal em Riade, de 2013 a 2017, adiantou que "há sinais dados pelas autoridades" sul-africanas de que "o crescimento é através da economia de mercado".
 
"Este pano de fundo, que tem sido dito e reiterado pelas autoridades, leva-me a crer que o problema também da grave desigualdade da distribuição de riqueza será feito de forma que não ponha em causa este modelo base que é o crescimento da África do Sul que será feito pela via do mercado e respeitando o papel dos investidores e dos empresários", referiu.
 
Também o presidente do conselho executivo da CCILSA, Tim Vieira, alertou para a "necessidade de planear" a distribuição de terras na África do Sul.
 
"Tem de haver mudanças, distribuição de terras, mas tem de ser feito de uma maneira mais planeada, tem de ser feito de maneira a não se criar uma situação de perda para os dois lados. Acho que o nosso Governo [sul-africano] tem de agir com valores humanos, o mundo todo vai ter de agir, não podemos ter mais uma Venezuela, já falhámos aí", alertou Tim Vieira.

Share this page

Copyright © Source (mentioned above). All rights reserved. The Land Portal distributes materials without the copyright owner’s permission based on the “fair use” doctrine of copyright, meaning that we post news articles for non-commercial, informative purposes. If you are the owner of the article or report and would like it to be removed, please contact us at hello@landportal.info and we will remove the posting immediately.

Various news items related to land governance are posted on the Land Portal every day by the Land Portal users, from various sources, such as news organizations and other institutions and individuals, representing a diversity of positions on every topic. The copyright lies with the source of the article; the Land Portal Foundation does not have the legal right to edit or correct the article, nor does the Foundation endorse its content. To make corrections or ask for permission to republish or other authorized use of this material, please contact the copyright holder.