Crise agrária e climática na Índia levou 15 milhões a abandonarem suas terras | Land Portal | Asegurando los Derechos a la Tierra a través de Datos Abiertos

Segundo dossiê do Instituto Tricontinental, desde 1995, mais de 300 mil agricultores cometeram suicídio no país

O Instituto Tricontinental de Pesquisa Social lançou, nesta terça-feira (8), seu vigésimo primeiro dossiê temático, focado na análise do mundo rural indiano. O documento chamado "A catástrofe climática e o ataque neoliberal à Índia rual" aponta para um contexto de crise agrária no país oriental. 
 
O levantamento aponta como causa desse cenário o avanço de políticas neoliberais para agricultura, baseadas na mercantilização absoluta das terras e sua produção, levando boa parte do campesinato indiano a uma situação insustentável. Um dos fenômenos mais sintomáticos deste fenômeno é o elevado número de agricultores que tiram a própria vida. 
 
Segundo o dossiê, desde 1995, mais de 300 mil agricultores cometeram suicídio e 15 milhões de agricultores abandonaram seus campos. “As empresas multinacionais do ramo, nestas últimas, com seu controle sobre a cadeia global de commodities, sobre as sementes e sobre o comércio, beneficiam-se independentemente do clima irregular e dos preços flutuantes das commodities. Os agricultores, por outro lado, sofrem frequentemente”, diz o texto. 
 
O dossiê se baseia em histórias coletadas por P. Sainath, integrante sênior do Instituto. A primeira delas retrata uma região do país na qual a devastação florestal faz com que haja chuvas de areia no local, impossibilitando a produção dos camponeses. 
 
“A perda de arbustos e florestas é um problema em toda a região de Rayalaseema. Somente no distrito de Anantapur, 11% da área é classificada como “floresta”. A cobertura florestal real diminuiu para menos de 2%. As areias sempre estiveram lá, sim. Mas a força delas, produzindo tempestades de areia, aumentou. Os fazendeiros não veem valor nas barreiras naturais ao vento”, aponta o relatório. 
 
O segundo relato, por outro lado, aponta saídas para o cenário agrário indiano. Uma cooperativa de mulheres foi capaz de superar a devastação causada por uma enchente. 
 
“Para onde quer que se olhe, o dano é assustador. Mas a coragem e o espírito dessas mulheres parecem aumentar em proporção inversa à devastação que sofreram nas enchentes de agosto - a pior de Kerala em um século”, relata Sainath. 
 
O integrante sênior do instituto apresenta três eixos estruturais para uma saída coletiva para a crise agrária e ambiental na Índia: “A agricultura deve ser agroecológica em sua abordagem”, o abandono de “produtos químicos tóxicos e sementes perigosamente mecanizadas” e, por fim, uma reforma agrária “principalmente a que cria cooperativas e coletivização”. 

 Copyright © Fuente (mencionado anteriormente). Todos los derechos reservados. El Land Portal distribuye materiales sin el permiso del propietario de los derechos de autor basado en la doctrina del "uso justo" de los derechos de autor, lo que significa que publicamos artículos de noticias con fines informativos y no comerciales. Si usted es el propietario del artículo o informe y desea que se elimine, contáctenos a hello@landportal.info y eliminaremos la publicación de inmediato.



Varias noticias relacionadas con la gobernanza de la tierra se publican en el Land Portal cada día por los usuarios del Land Portal, de diversas fuentes, como organizaciones de noticias y otras instituciones e individuos, que representan una diversidad de posiciones en cada tema. El derecho de autor reside en la fuente del artículo; La Fundación Land Portal no tiene el derecho legal de editar o corregir el artículo, y la Fundación tampoco espalda sus contenidos. Para hacer correcciones o pedir permiso para volver a publicar u otro uso autorizado de este material, por favor comuníquese con el propietario de los derechos de autor.

Comparta esta página