COP 27: Cabo Verde defende com o debate da questão das “perdas e danos” | Land Portal

Cabo Verde defende com “unhas e dentes” o debate da questão das “perdas e danos” na Conferência do Clima que decorre em Sharm el Sheikh, no Egipto. Um dossier que ao longo dos anos tem vindo a ser adiado e que agora se encontra no centro de debate. Na COP 27 Cabo Verde pediu ainda a conversão da dívida pública em “investimento climático". 

A participar na Convenção das Nações Unidas sobre o Clima está Cabo Verde, que este ano traçou uma estratégia baseada na mitigação, perdas e danos e adaptação e financiamento. Nos últimos anos Cabo Verde tem sido muito fustigado por fenómenos climáticos que representam grandes prejuízos económicos para o país.

Na sua deslocação a Sharm el Sheikh, o Presidente de Cabo Verde, José Maria Neves, defendeu a possibilidade de os pequenos estados insulares em desenvolvimento converterem a dívida pública em “investimento climático". O chefe de Estado sublinha que a concretizar-se esta medida “estaremos a criar condições para termos melhores condições de vida em África”.

Carlos Moniz, Ponto Focal de Cabo Verde junto da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (UNFCCC, sigla em inglês), em entrevista à RFI explica que o arquipélago integra o grupo de trabalho africano para a questão das “perdas e danos”: “Cabo Verde tem defendido esse dossier com ‘unhas e dentes’. Desde Varsóvia que se falava nas ‘perdas e danos’”, mas foi sempre sendo “empurrado para a frente”. Pelo facto da COP se realizar num país africano, "pode ser que  Sharm el Sheikh  seja a cidade de algumas decisões. Pode ser que haja alguma luz no fundo do túnel. Não acredito que seja tudo aqui resolvido e que vai haver algum texto relativo a perda de danos, mas penso que vai-se dar um grande avanço para que no Dubai, na COP 28 se feche esse processo”.

Numa altura em que os diferentes relatórios dão conta de cenários não muito animadores no que ao aquecimento global diz respeito, Carlos Moniz refere que “a esperança é a última a morrer. Na primeira semana [de COP] tivemos algumas movimentações. COP é África e África tem que fazer de tudo para que esta COP seja de referência. Uma COP com decisões, que dê luz aos países em vias de desenvolvimento, que dê esperança para a humanidade e para o planeta. Uma COP que dê esperança para tudo e todos que amam o mundo e a natureza.”

Copyright © da fonte (mencionado acima). Todos os direitos reservados. O Land Portal distribui materiais sem a permissão do proprietário dos direitos autorais com base na doutrina de “uso justo” dos direitos autorais, o que significa que publicamos artigos de notícias para fins informativos e não comerciais. Se você é o proprietário do artigo ou relatório e gostaria que ele fosse removido, entre em contato conosco pelo endereço hello@landportal.info e removeremos a publicação imediatamente.

Várias notícias relacionadas à governança da terra são publicadas no Land Portal todos os dias pelos nossos usuários, partindo de várias fontes, como organizações de notícias e outras instituições e indivíduos, representando uma diversidade de posições sobre cada tópico. Os direitos autorais estão na origem do artigo; a fundação não tem o direito legal de editar ou corrigir o artigo, nem endossar o seu conteúdo. Para fazer correções ou solicitar permissão para republicar ou outro uso autorizado deste material, entre em contato com o detentor dos direitos autorais.

Compartilhe esta página