ONU apoia combate à cólera em Moçambique após passagem do ciclone Freddy | Land Portal

Foto: Bob McCaffrey/Flickr​

Zambézia, a província mais afetada, soma 600 casos da doença e de diarreias agudas desde fevereiro; agricultura, áreas de alimentação, água, saneamento e saúde são prioridades na aplicação de US$ 10 milhões doados esta semana pela organização.*

As Nações Unidas impulsionam o apoio à resposta em favor das vítimas das inundações e do ciclone Freddy em Moçambique. O combate à cólera é o novo desafio, após o evento extremo que arrasou vastas áreas do país por duas vezes.

Na província da Zambézia, foram  diagnosticados cerca de 600 casos da doença e de diarreias agudas desde fevereiro. Oito pessoas perderam a vida  devido ao surto e mais de 250 pacientes foram internados.

Campanha de vacinação contra a cólera durante as inundações

Falando à ONU News, em Maputo, a coordenadora residente, Myrta Kaulard, reiterou o apoio aos planos das autoridades para minimizar a situação. Autoridades meteorológicas acompanham o movimento do ciclone ainda ativo.

“Sobretudo a purificação da água, a hidratação das pessoas e atribuição de antibióticos. O estoque que temos é muito baixo, o Ministério da Saúde foi incrível ao fazer uma campanha de vacinação contra a cólera durante as inundações. Cerca de 719 mil vacinas foram administradas durante as inundações, o país tem 1,4 milhão de vacinas, mas o importante é necessário fazer mais.”

 

 

A chefe humanitária em Moçambique destacou algumas áreas nas qual será aplicado o montante, que incluem a agricultura e  alimentação.

“Estes US$ 10 milhões que recebemos do fundo de emergência das Nações Unidas vão ser utilizados para mobilizar material de água, saneamento, saúde, lonas para abrigos, também sementes e alimentos, porque outro enorme problema é que todas estas inundações destruíram muitas terras férteis que estavam prontas para a colheita. Estamos a falar de muitas famílias que perderam a colheita.”

Terceira vaga de chuvas

Para além da cólera, uma possível terceira vaga de chuvas fortes é também uma preocupação para parceiros humanitários.

“ Ainda não vimos todo impacto do ciclone Freddy. Mais de 200 mm de chuva num dia, esta é a quantidade de chuva correspondente a um mês. Estamos a fazer muita advocacia para que os parceiros, seja também os colaboradores de desenvolvimento para apoiar na recuperação imediata para que o país possa continuar o seu caminho até o desenvolvimento sustentável.”

A chefe da ONU citou que o número reduzido de perdas humanas se deve a colaboração entre o Instituto Nacional de Meteorologia, Inam, e o Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres, Ingd. Moçambique teve cerca de duas dezenas de óbitos durante o ciclone.

“Até agora não vimos muita perda de vidas humanas. O país dispõe de competências técnicas e de capacidades para trabalhar com imagens de satélites e antecipar o impacto dos ciclones com uma precisão muito alta, permitem então que o Ingd possa informar todas as populações destas zonas possam ser evacuadas para os abrigos e depois esperar até que o tempo volte ao normal.”

Perda de terras cultivadas

Dados do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres, Ingd indicam que mais de 38 mil hectares de terras cultivadas foram perdidos, enquanto outros 179 mil de terras cultivadas foram inundadas.

O Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres, Ingd, indica que a província da Zambézia é a mais afetada com cerca de 211 mil pessoas. O segundo maior número de vítimas foi em Sofala com 33,4 mil pessoas.

*Ouri Pota, de Maputo para ONU News.


 

 

Copyright © Source (mentioned above). All rights reserved. The Land Portal distributes materials without the copyright owner’s permission based on the “fair use” doctrine of copyright, meaning that we post news articles for non-commercial, informative purposes. If you are the owner of the article or report and would like it to be removed, please contact us at hello@landportal.info and we will remove the posting immediately.

Various news items related to land governance are posted on the Land Portal every day by the Land Portal users, from various sources, such as news organizations and other institutions and individuals, representing a diversity of positions on every topic. The copyright lies with the source of the article; the Land Portal Foundation does not have the legal right to edit or correct the article, nor does the Foundation endorse its content. To make corrections or ask for permission to republish or other authorized use of this material, please contact the copyright holder.

Share this page