ONU afirma que Timor-Leste deve agir na justiça, educação, saúde e recursos para proteger indígenas | Land Portal

Tauli-Corpuz, relatora especial da ONU, afirma que a integração dos indígenas contribuiu para o progresso do país, mas alerta para a falta de desenvolvimento em áreas como justiça e educação.

Timor-Leste deve tomar medidas na justiça e educação, no combate à pobreza e desnutrição, defende um relatório preliminar da ONU sobre direitos dos povos indígenas divulgado esta terça-feira, que elogia os progressos nos últimos 20 anos.
 
A relatora especial da ONU para os Direitos dos Povos Indígenas diz que o esforço de Timor-Leste para promover práticas consuetudinárias indígenas contribuiu para o progresso na construção da nação, mas faz reparos nas áreas da justiça, terras e territórios, conservação, educação, pobreza e desnutrição.
 
O relatório completo da missão de Victoria Tauli-Corpuz, que fez reuniões em Díli, capital de Timor-Leste, e visitou comunidades indígenas em Ermera, Liquica e Ataúro, será apresentado ao Conselho de Direitos Humanos em setembro deste ano.
 
“Estou impressionada com o orgulho que os timorenses assumem na sua herança cultural e como as práticas indígenas se traduziram em importantes ganhos em proteção ambiental e biodiversidade”, salientou Tauli-Corpuz no relatório. “Estes [ganhos] podem servir como exemplos inspiradores para outros países”, sustenta a relatora.
 
Contudo, alerta, existem “práticas judiciais costumeiras que precisam de ser retificadas para cumprir os padrões dos direitos humanos, como punições físicas e audiências públicas comunais que são claramente inadequadas para crimes relacionados com vítimas vulneráveis à violência doméstica e abuso infantil”.
 
Tauli-Corpuz assinala ainda que “a língua é o maior desafio em garantir acesso à justiça”, já que “a maioria dos atores judiciais utilizam idiomas [português e tétum] que não são de língua materna para a maioria da população”.
 
Nesse sentido, na educação, além de destacar as “pobres infraestruturas das escolas”, pede ao Governo que tome “medidas adicionais para proteger, revitalizar e promover os mais de 30 idiomas [indígenas] em Timor-Leste”.
 
Os alertas na área da educação são justificados pelo facto de se tratar de uma área que deve ser olhada como “uma prioridade nacional” e que deveria refletir-se no Orçamento do Estado do país, defende.
 
A responsável da ONU lembra que Timor-Leste tem a maior taxa de desnutrição crónica no sudeste asiático e uma das mais altas do mundo, sendo que as estatísticas indicam que quase metade das crianças menores de 5 anos sofre de desnutrição crónica.
 
Por isso, Tauli-Corpuz exorta o Governo a designar recursos adequados para o Plano Estratégico de Desenvolvimento 2011-2030 e a cumprir com o roteiro para a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, bem como a aumentar a produção das culturas indígenas para combater a incidência de desnutrição.
 
A relatora especial da ONU acrescenta ter sido informada de terem sido provocados conflitos relacionados com a posse de terras “e que estão em risco de escalar” caso prossiga o regime especial sobre a titularidade dos bens imóveis aprovado em 2017, pelo que pede ao executivo que reveja o atual processo.
 
“Por fim, estou preocupada com a forma como as prioridades de desenvolvimento, que incluem a extração de recursos, podem impactar negativamente os direitos dos povos indígenas e o meio ambiente”, escreve a mesma responsável das Nações Unidas.

Copyright © Source (mentioned above). All rights reserved. The Land Portal distributes materials without the copyright owner’s permission based on the “fair use” doctrine of copyright, meaning that we post news articles for non-commercial, informative purposes. If you are the owner of the article or report and would like it to be removed, please contact us at hello@landportal.info and we will remove the posting immediately.

Various news items related to land governance are posted on the Land Portal every day by the Land Portal users, from various sources, such as news organizations and other institutions and individuals, representing a diversity of positions on every topic. The copyright lies with the source of the article; the Land Portal Foundation does not have the legal right to edit or correct the article, nor does the Foundation endorse its content. To make corrections or ask for permission to republish or other authorized use of this material, please contact the copyright holder.

Share this page