Guiné-Bissau e Senegal debatem segurança e desenvolvimento transfronteiriço | Land Portal

Em representação do ministro da Administração e Poder Local, Seynabu Faye de Almeida afirmou que as fronteiras não devem ser vistas como uma zona de perpétuos conflitos.

Autoridades administrativas e locais, forças de defesa e segurança e organizações da sociedade civil da Guiné-Bissau e do Senegal reuniram-se esta sexta-feira para debater a segurança e o desenvolvimento transfronteiriço com o objetivo de promover a cooperação.

Os representantes das regiões guineenses de Bafatá, Cacheu e Oio e das regiões senegalesas de Kolda, Sédhiou e Zinguinchor reuniram-se, em Bissau, no âmbito de um projecto da organização não-governamental Afrique Enjeux, financiado pelo Programa da ONU para o Desenvolvimento.

O encontro tem como objetivo promover a colaboração eficiente entre as partes para a resolução sustentável de problema de crime fronteiriço, nomeadamente o abate abusivo de árvores, os conflitos relativos à posse de terra na linha da fronteira, o tráfico de droga e o comportamento policial, tendo em vista o desenvolvimento das zonas limítrofes.

A Guiné-Bissau faz fronteira a norte com o Senegal. Em representação do ministro da Administração e Poder Local, Seynabu Faye de Almeida, afirmou que as fronteiras não devem ser vistas como uma zona de perpétuos conflitos, acrescentando que o Estado tem a obrigação de garantir a paz e a segurança em todo o território nacional.

“Registamos constantemente a movimentação de grupos hostis ao estabelecimento de paz nas fronteiras”, disse, dando como exemplo os grupos organizados envolvidos no roubo de animais, o vandalismo de recursos haliêuticos e saída ilegal de castanha de caju.

O responsável referiu-se também a um novo fenómeno relacionado com a disputa de terras.

Para a representante do PNUD, Luana Natali, a promoção do diálogo é essencial para que se encontrem soluções conjuntas capazes de combater o crime transfronteiriço.

Só através do intercâmbio e partilha de informações entre autoridades locais, regionais, forças de segurança e de defesa e a sociedade civil as partes poderão alcançar a estabilidade e o desenvolvimento das populações das fronteiras, salientou.

O coordenador da organização senegalesa “Afrique Enjeux”, Jules Bassene, disse que as organizações da sociedade apoiam os governos dos dois estados na pacificação da linha fronteiriça.

Copyright © Source (mentioned above). All rights reserved. The Land Portal distributes materials without the copyright owner’s permission based on the “fair use” doctrine of copyright, meaning that we post news articles for non-commercial, informative purposes. If you are the owner of the article or report and would like it to be removed, please contact us at hello@landportal.info and we will remove the posting immediately.

Various news items related to land governance are posted on the Land Portal every day by the Land Portal users, from various sources, such as news organizations and other institutions and individuals, representing a diversity of positions on every topic. The copyright lies with the source of the article; the Land Portal Foundation does not have the legal right to edit or correct the article, nor does the Foundation endorse its content. To make corrections or ask for permission to republish or other authorized use of this material, please contact the copyright holder.

Share this page